Mostra do artista suíço Augustin Rebetez chega ao Sesc Consolação, em SP

Uma grande instalação preenche todo o espaço da área de convivência do Sesc Consolação com uma perfeita conjunção de pinturas e esculturas. As manifestações artísticas se complementam com sons e videoanimações do jovem artista contemporâneo Augustin Rebetez, natural da Suíça.

A exposição “Estremecer Auroras” fica em cartaz até o dia 27 de julho na unidade do Sesc e conta com a curadoria de Adelina von Fürstenberg, ganhadora do Leão de Ouro na 56ª edição da Bienal de Veneza, em 2015. O repertório da companheira de empreitada já apresenta um presságio do que esperar da mostra: cenários mágicos, personagens pitorescos e quimeras.

Augustin é considerado um “alquimista” nas artes visuais e seu trabalho de múltiplas faces não pode ser facilmente categorizado em um único título ou estilo. Ponto para o artista.

Foto: Renata Bitar

A convite do Sesc e com apoio do Pro Helvetia e do projeto ART for the World, Rebetez criou um conceito especial para o local. A construção é inspirada na cidade de São Paulo, considerado pelo artista um verdadeiro museu a céu aberto que desafia a imaginação. “A exposição é um convite à criação, à mistura de ideias, à combinação de sonhos. Meu trabalho começa nos lixões e acaba nos museus. Tento contaminar e transmitir minha cólera e meu engajamento, mas também pretendo entremeá-los delicadamente com vislumbres de esperança. Misturar, estremecer, perturbar e eviscerar a aurora. É um apelo à ação por meio da arte. Quero dar a meus amigos e ao público algo mais para beber”, destaca.

Augustin expõe seus trabalhos ao redor do mundo desde 2009. Entre os prêmios conquistados ao longo da carreira, o destaque vai para o Vevey International Photo Award, em 2014.

Foto: Renata Bitar

Também publicou livros e produziu diversos videoclipes e capas de discos para bandas e artistas como Louis Jucker, Coilguns, Emilie Zoé, The Young Gods, Los Orioles, Sophie Hunger, Donzelle e Gängstgäng.

“Estremecer Auroras” tem um conjunto de obras que conversam muito bem com e sobre o tempo em que vivemos. Para captar a inspiração de Augustin, é necessário abrir a mente e navegar pelo mundo de tudo aquilo que está diante de seus olhos, buscando entender o que esse conjunto desperta em você.

Foto: Renata Bitar